Entrevista a Miguel Azevedo e Castro


Miguel Azevedo e Castro é Senior Web Designer e coordenador do Departamento de Web Design na Janela Digital (grupo PT.com). Além da paixão pela inovação, usabilidade e, mais recentemente acessibilidade nos sítios Web,  dedica-se ainda ao desenvolvimento de plugins, widgets e temas para o WordPress,  sendo um dos poucos Portugueses a ter plugins próprios no repositório oficial.

Da sua autoria são MyReadMore (que, além de outras funcionalidades, resolve o problema da acessibilidade do link “Ler Mais”, quando repetido numa página), NoMoreIE6 (que apresenta um aviso aos visitantes com Internet Explorer 6 para actualizarem o seu browser) e TwitMeUp (que integra a publicação de posts com o Twitter).

Depois de ter instalado o NoMoreIE6 neste blog, achei lógico fazer-lhe algumas perguntas, para inaugurar a divulgação de developers nacionais que queremos fazer.

O que é que te trouxe ao WordPress? Qual foi o primeiro projecto que fizeste?
Já tinha “ouvido falar” do WordPress, mas na realidade só lhe prestei atenção pela primeira vez no início de 2007.  Como me iniciei no Web Design como autodidacta por pura carolice e sem quaisquer bases informáticas académicas, sempre tive que me esforçar mais para colmatar essa lacuna,  comparativamente com alguns colegas “informáticos de raiz”.  Então para me manter competitivo senti necessidade de ter um CMS, poderoso e fácil de usar para poder oferecer um produto dinâmico nos meus trabalhos “caseiros”. – Foi então que o WordPress entrou na minha vida profissional.

O primeiro trabalho verdadeiramente a sério em WP foi já na Janela Digital, para um Jornal Regional.  Aí escolhi um template, o mais parecido com o que tinha idealizado e adaptei-o ás minhas necessidades.  Basicamente só alterei CSS e imagens e inseri muito PHP hard-coded nos ficheiros.  Era o que conseguia fazer na altura.

O meu primeiro tema de raiz, foi para uma conhecida associação de juristas que necessitava de criar mais dinamismo em torno do seu site, que na altura era “estático”.  Como eles queriam manter o layout, tive mesmo que aprender e do layout estático que eles tinham  criar um tema WP.  Foi isso que me fez verdadeiramente mergulhar no core do WP.

Em breve vou ter alguns temas para download no meu blog, no entanto confesso que ainda não tive tempo para os colocar.

Se tivesses que indicar apenas uma adição recente de funcionalidade ao WordPress qual é que destacavas e porquê?
Destacava a lufada de ar fresco na Usabilidade pelo redesign do painel de administração e com a inclusão do menu lateral (Admin menu), que veio tornar a gestão do WordPress muito mais simples e intuitiva para utilizadores menos “tech-savvy”,  o que é muito importante para quem desenvolve produtos para terceiros, como é fundamentalmente o meu caso.

O que é que achas que foi o teu maior feito com WordPress?
Acho que pode ter sido desenvolver um site em WordPress com vários templates, instruir o cliente sobre como inserir conteúdos usáveis e conseguir validar todo o site com o nível máximo de acessibilidade AAA (W3C – WCAG).  O site em questão justificava o esforço extra para a validação.  Foi o site do Parque Tecnológico de Óbidos, feito por mim enquanto Web Designer na Janela Digital e,  se tudo correu bem com a formação ao Webmaster do Parque,  o site continuará a validar!

O que é que te inspirou a desenvolver plugins?
Comecei a desenvolver plugins pela necessidade de responder a questões específicas de alguns clientes. Havia plugins já desenvolvidos, mas não eram exactamente aquilo que o cliente pretendia.

Inicialmente comecei por fazer scripts e inseri-los hard-coded nos temas, mais tarde um cliente necessitava de administrar um menu de navegação (dropdown) que eu tinha hard-coded, então achei que o mais simples seria mesmo transformá-lo num widget e criar-lhe um widget_control. Assim, mais uma vez pela necessidade, aprendi a desenvolver widgets e mais tarde plugins, pela mesma necessidade de ir ao encontro de pedidos de clientes.

Em que momento do desenvolvimento estás?
Além dos projectos internos que tenho na empresa, no meu tempo livre enquanto freelancer estou a iniciar um processo de desenvolvimento de uma série de websites em WordPress para um grupo de media em Inglaterra ligado à moda e à musica.

Planos para o futuro (mais plugins, novas funcionalidades)?
Tornar-me muito melhor naquilo que faço e aprender muito mais sobre o core do WordPress porque todos os dias descubro algo novo.  A minha experiência como webmaster de um site WordPress também não é grande coisa uma vez que sempre que necessito de algo diferente começo sempre por pensar em desenvolver um plugin ou um widget, antes de verificar se isso já existe no repositório. Tenho muitos mais plugins, widgets e temas desenvolvidos, mas ou são coisas muito específicas para trabalhos efectuados, ou não tive ainda tempo para os tornar de uso universal. Tenho muitas ideias na calha para o WP (mantenho uma ToDo List sempre actualizada): Umas sobre aplicações generalistas e outras especificas para a área onde trabalho na Janela Digital – desenvolvimento de produtos para o sector imobiliário.

– Quem me dera por vezes “desligar” e parar de pensar em novos desenvolvimentos! (risos)

3 pensamentos sobre “Entrevista a Miguel Azevedo e Castro

  1. Excelente entrevista! É com grande prazer que vejo a evolução do Miguel desde os primórdios que começou a utilizar WordPress para os seus trabalhos “caseiros” como os seus trabalhos da empresa! Nota-se claramente que parte dos seus plugins é um must have tanto em páginas CMS como em Blogs. Aliás sou apologista que todos os utilizadores do WordPress instalem NoMoreIE6. É sem duvida um plugin muito útil nos dias de hoje!
    Parabéns Miguel!

Deixar uma resposta