WordPress

WordPress 4.6: o que muda por dentro, vê-se por fora

Muitos dirão que o WordPress 4.6 é uma das menos entusiasmantes versões. Outros que é das mais consistentes e poderosas, porque resolve alguns problemas relevantes. Além disso traz novidades suficientes para agradar à comunidade de programadores. Por isso, o seu real impacto só será apreciado de forma adequada dentro de algumas semanas ou meses.

De uma forma ou da outra o WordPress 4.6 “Pepper” (em homenagem a Park Frederick “Pepper” Adams) é uma versão que tem tudo para agradar aos diversos públicos. Aqueles que gostam de coisas novas vão ficar satisfeito, mesmo que não de barriga cheia. Já os defensores de que era tempo de limpar a casa também ficarão contentes.

Pelo meio de mais de 280 bugs resolvidos, houve 125 melhoramentos e sete novas funcionalidades.

Actualizações simplificadas

São os ‘shiny updates’. Foi a forma encontrada para simplificar o processo de actualização ou instalação de novos elementos, como temas e plugins. Em alternativa a uma mudança de página e um conjunto de informações pouco relevantes apresentadas no ecrã, somos agora presenteados com um pequeno ícone em movimento, sem sair da mesma página.

Actualizações simplificadas no WordPress 4.6

Fontes nativas no painel

O painel do WordPress passa a aproveitar as fontes disponíveis no sistema operativo, carregando mais depressa. Esta alteração vem substituir o uso do Open Sans, que carregava a partir do Google Fonts como um recurso externo. Esta opção foi implementada na área de administração desde a versão 3.8, em 2013. Além de uma eventual melhoria na velocidade esta pode ser uma medida importante para os utilizadores que trabalham offline.

Fontes nativas no WordPress 4.6

Editor reforçado e à prova de desastres

Embora sem novidades revolucionárias, o editor do WordPress regista pequenas alterações que podem ser importantes no fluxo de trabalho dos utilizadores.

Uma delas pode mesmo ser muito importante nos casos de sites onde a inserção de ligações (links) é frequente. Será possível fazer verificações automáticas para evitar criar ligações de texto erradas.

O WordPress passa ainda a guarda o conteúdo do que escreve no navegador. Fica, assim, mais fácil recuperar conteúdo guardado. Até esta versão, o processo de guardar ocorria a cada 15 segundos no navegador mas raramente detectava quando algo tinha corrido mal, o que poderia levar a perda de informação em casos pontuais. Agora surge uma indicação da existência de uma nova versão guardada automaticamente.

Por trás do pano

O WordPress 4.6 adiciona, de forma automática, dicas sobre recursos que ajudam os navegadores a decidirem que recursos devem obter e pré-processar. Desta forma o site pode ficar um pouco mais rápido. Esta é uma das novas especificações do consórcio W3C.

A API HTTP utiliza agora a biblioteca Requests, melhorando o suporte para HTTP e permitindo cabeçalhos indiferentes a maiúsculas e minúsculas, pedidos HTTP em paralelo e suporte para nomes de domínio internacionalizados.

WP_Term_Query e WP_Post_Type

Há uma nova classe WP_Term_Query que flexibiliza às consultas sobre informação dos termos. Um novo objecto WP_Post_Type torna as interacções com tipos de conteúdos mais previsíveis. A API para registo de metadados foi alargada para suportar tipos, descrições, e visibilidade na API REST. Foram actualizações bibliotecas JavaScript, como Masonry 3.3.2, imagesLoaded 3.2.0, MediaElement.js 2.22.0, TinyMCE 4.4.1 e Backbone.js 1.3.3.

Traduções automáticas

O WordPress vai instalar e usar os mais recentes pacotes de idiomas de plugins e temas assim que estejam disponíveis na comunidade de tradutores WordPress.org. Estes terão mesmo preferência em relação aos ficheiros de tradução que os temas e plugins possam integrar e distribuir.

Personalizador com notificações

As Opções do painel passam a incluir uma nova API para forçar restrições de validação. Os controlos do Personalizador agora suportam notificações, que são usadas para mostrar erros de validação. Uma melhoria importante em relação ao passado, quando os utilizadores ficam sem informação sobre o que tinha acontecido.

Assim, todas as definições alteradas são validadas antes de serem guardadas. Se alguma for inválida, o Personalizador rejeita o pedido feito e aparece um erro de validação, ajudando a perceber o que correu mal.

API de comentários alterada

Desde o WordPress 2.6, que a API de comentários não usava um sistema de cache persistente. Esta é uma situação que implica mudanças e actualizações em plugins de gestão de comentários.
Assim, quando há novos comentários ou são modificados ou eliminados os valores de cache são invalidados e cria-se uma nova.

Multisite mais rápido

A experiência de administração da rede multisite foi melhorada graças a consultas de site abrangentes e em cache. A adição de WP_Site_Query e WP_Network_Query ajuda a criar consultas avançadas com menos esforço.

Divirtam-se com o WordPress 4.6.

Deixar uma resposta