Aviso da Google sobre HTTPS

O Melhor da Semana N.º 190: Gutenberg, PHP, Google e HTTPS, GDPR e tu, a liberdade de todos nós

O que há de novo no Gutenberg, agora que chegou à versão 0.9.0.

Morten Rand-Hendriksen analisou, experimentou, leu e pensou sobre o assunto e tem uma opinião central: o projecto Gutenberg no WordPress é mesmo uma revolução.

O pessoal do TinyMCE, a base do actual editor do WordPress, têm umas coisas a dizer sobre este projecto.

A equipa PHP do core do WordPress criou uma nova organização no GitHub com foco no melhoramento do uso do PHP no projecto. O primeiro passo é educativo: dizer aos utilizadores quais os benefícios de actualizar o PHP. Nesta altura, as estatísticas indicam que 40% dos sites usa PHP 5.6 e 14% estão no PHP 7 ou superior.

Continuar a ler “O Melhor da Semana N.º 190: Gutenberg, PHP, Google e HTTPS, GDPR e tu, a liberdade de todos nós”

O Melhor da Semana N.º 132: Plugins, bugs, PHP, compressão para WordPress

Quando há um problema grave num site WordPress uma das primeira acções a desenvolver é desactivar todos os plugins. Muitas vezes estes são os primeiros suspeitos quando as coisas dão para o torto. Porque é que isso acontece? Bugs e não só.

Por falar em bugs, Tom McFarlin recomenda o uso de Kint PHP Debugger para projectos WordPress. O mesmo autor abordou, esta semana, o uso do PHP CodeSniffer.

Continuar a ler “O Melhor da Semana N.º 132: Plugins, bugs, PHP, compressão para WordPress”

WordPress 4.1 é a versão mais usada em todo o mundo

Mais de um terço dos websites que usam WordPress estão a rolar a versão base mais recente, a 4.1. Os dois lançamentos mais recentes, a 4.0 e a 4.1, já passam os 50%. É o mais recente dado das estatísticas do WordPress.org, que registou uma importante alteração nos últimos dias.

Usos de versões WordPress

Continuar a ler “WordPress 4.1 é a versão mais usada em todo o mundo”

O Melhor da Semana n.º 33: programação, tradução e história

O WordPress encoraja uma programação pobre? É a pergunta intensa deixada por Tom McFarlin. A resposta? O melhor é ler.

Já que falamos de programação. Na última semana regressou o debate sobre se o futuro do WordPress passará, no futuro próximo, por ser maioritariamente JavaScript. Neste momento, JavaScript representa cerca de 16.6 por cento do código fonte, muito longe dos 83,4% do PHP.

As questões de tradução e internacionalização motivam Brady Vercher a abordar a preparação de temas e plugins para i18n, um aspecto que muitos autores tendem a esquecer ou menosprezar.

Continuar a ler “O Melhor da Semana n.º 33: programação, tradução e história”

WordPress e HipHop Virtual Machine

Nota do editor:

É possível configurar uma nova instalação WordPress usando Nginx, FastCGI e HHVM? É, pois. Pode fazer-se? Pode, claro. É fácil? É mais complicado que cozer um ovo e menos complicado que estabelecer acordos entre partidos políticos. Alguém o fez recentemente? Sim, Luís Rodrigues, Solutions Architect & Business Developer, tratou disso. E o melhor de tudo é que aceitou partilhar connosco o método e os resultados.

Sopa de letras: PHP, CGI e HHVM

É certo e sabido que, sem um empurrãozinho, o PHP não é das linguagens de programação com maior desempenho. É uma linguagem interpretada e, como tal, o seu tempo de execução é condicionado pelo desempenho do próprio interpretador e do ecossistema de componentes em volta.

No seu modelo de execução mais simples e convencional, um servidor web recebe um pedido do browser para gerar conteúdo dinâmico a partir de um script PHP. Para satisfazer o pedido, o servidor reencaminha-o para o interpretador da linguagem, que inicia um processo separado, executa o código e devolve o resultado. O servidor, por sua vez, retorna este resultado ao browser do visitante. Através deste método, denominado Common Gateway Interface (CGI), cada pedido implica um novo processo do interpretador PHP para executar o código necessário. Findo o pedido, o processo do interpretador é terminado.

Continuar a ler “WordPress e HipHop Virtual Machine”

Está pronto para o WordPress 3.2?

O WordPress 3.2 vai ser lançado muito em breve com alterações importantes aos requisitos mínimos. Verifique já se está tudo a postos: PHP e MySQL A versão 3.2 precisa do PHP 5.2.4 e do MySQL 5.0. Como já mencionado há quase um ano, quando foi anunciada esta alteração, a percentagem de instalações com versões mais antigas do PHP e MySQL, é relativamente baixa. No entanto, com mais de 45 milhões de instalações WordPress, uma pequena percentagem pode mesmo assim significar muitos sites! Não seja apanhado de surpresa – verifique já se está a executar versões compatíveis do PHP e MySQL, … Continuar a ler Está pronto para o WordPress 3.2?