Anthony Vendeirinho

Entrevista a Anthony Vendeirinho: “O WordPress necessita melhorar os menus”

Está no WordPress desde meados de 2010 e, tal como muitos outros, diz que nunca mais quis outra coisa. Faz design e desenvolvimento front-end. Chegou ao design graças a um jogo de vídeo e à necessidade de criar a imagem de uma equipa. Acha que o futuro é móvel e que, com o WordPress como base, o design só depende da criatividade.

Anthony Vendeirinho está agora numa nova etapa, a de nómada digital.

Quando estás a desenvolver um projecto WordPress quais são as tuas ferramentas principais, em termos de aplicações, serviços?

    • Gestão de Tarefas – Trello.
    • Mockups – Balsamiq Mockups.
    • Design – Sketch 3 da BohemianCoding.
    • Visualização do design mobile em iPhone/iPad – LiveView.
    • Feedback do Design/Mockup – RedPen
    • Editor de Texto – Sublime Text 2.
    • Less – SimplLESS.
    • Servidor localhost – MAMP.

Podemos conhecer o teu processo de trabalho, o teu ‘workfow’, ou os métodos habituais?

O meu processo de trabalho divide-se fundamentalmente em quatro fases:

    1. Briefing inicial com o cliente
    2. Prototipagem
    3. Design (mobile e desktop)
    4. Front-End e Implementação em WordPress

Experimentas novas aplicações e serviços com regularidade ou permaneces fiel às tuas preferidas?

De uma forma geral uso sempre as mesmas, isto porque sou muito selectivo no processo de escolha de uma aplicação. Sempre que encontro um problema que precisa de ser resolvido, dedico muito tempo a experimentar e a testar o conjunto de aplicações existentes para o efeito, até eleger a minha preferida.

Trabalhas apenas com WordPress ou utilizas outros sistemas de gestão de conteúdos?

Desde que comecei a utilizar o WordPress a nível profissional, consegui dar resposta a todas as minhas necessidades. Até hoje, não senti necessidade de utilizar outro CMS.

Quando é que o design entrou na tua vida?

O design entrou na minha vida de uma forma curiosa. Há uns 6 ou 7 anos atrás, jogava um jogo na internet no qual fazia parte de uma equipa. Na altura, dada a necessidade, criei um fórum para a referida equipa no tão conhecido, na altura, ForumMeiros, e precisei de fazer algumas coisas: logótipos, assinaturas, etc. A partir daí não mais parei. Comecei a criar um tema de raiz para esse fórum, segui os estudos na área de multimédia e passado uns tempos comecei a fazer os meus primeiros trabalhos como freelancer.

Até onde é possível levar o designer usando WordPress? É um daqueles casos em que a imaginação é o limite?

Sim, hoje em dia o WordPress é dos melhores CMS que existem, senão o melhor, e o céu é o limite. Não é por isso de admirar que mais de 20% dos sites na internet são actualmente em WordPress.

O futuro é móvel?

Sem dúvida. Cada vez mais as pessoas navegam pela web em dispositivos móveis sendo que o paradigma do uso da internet está a mudar. O utilizador confia, cada vez mais, em smartphones ou tablets para efectuar pesquisas ou até mesmo acções mais delicadas como compras ou gestão bancária. Só no ano passado o tráfego em dispositivos móveis duplicou e a tendência é para subir ainda mais.

Tens um ‘estilo’ de design preferido ou navegas ao sabor do momento, do projecto?

Acho que tenho um estilo bem definido. Gosto especialmente de criar coisas ‘clean’ e ‘flat’, que sejam sobretudo muito intuitivas para o utilizador.

Adoptas-te, nos últimos meses, um estilo vida e trabalho de nómada digital. Com é trabalhar desta forma?

Em primeira instância é fantástico. Ao trabalhar desta forma tem-se a possibilidade de conhecer o mundo, novas pessoa, novas culturas, partilhar experiências e sobretudo fazer cada dia da nossa vida totalmente diferente, afastando a rotina. Penso que o maior argumento que poderei dar é o facto de ser visível o aumento de pessoas a praticarem este estilo de vida.

Em que é que este género de vida e trabalho influencia aquilo que fazes?

O meu trabalho é puramente criativo. Como tal, tenho de tentar manter a minha cabeça o menos formatada possível, porque só assim consigo produzir algo verdadeiramente novo e fascinante. Portanto, não tenho dúvida alguma que o meu estilo de vida e o modo como escolhi fazer as coisas são parte activa do meu sucesso.

Quais achas que devem ser os próximos passos do WordPress como CMS, aquilo que gostarias que tivesse e ainda não tem?

Penso que de momento um dos pontos que necessita de ser melhorado encontra-se ao nível das secção dos menus e da sua organização. Nomeadamente falta incorporar mais funcionalidades nos menus, como por exemplo a existência de um megamenu.

Alguma sugestão a quem está agora a começar a trabalhar com WordPress?

A melhor forma de começar a trabalhar em WordPress é mesmo fazer algo, um tema, um plugin, e ao longo do processo sempre que surgirem dúvidas consultar a informação disponível para tentar descobrir a melhor forma de resolver o problema. Existem imensos ebooks e vídeos que irão ajudar. Ah, e claro está, ir aos Meetups de WordPress ajuda imenso também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *