Uso do WordPress entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017

O Melhor da Semana N.º 158: WP-CLI seguro, porquê WordPress, notificações, migrações e a morte do blogging

Perguntas difíceis: o WordPress é mesmo ‘responsável’ por 27% de toda a Internet conhecida? Andrey Savchenko resolveu cruzar números e tirou conclusões.

Se a pergunta é “Porquê WordPress”, uma potencial resposta pode ser aquela que é fornecida pelo designer John Maeda numa mensagem que enviou no final do ano à equipa Automattic Design.

Depois do apelo para que o WP-CLI fosse alvo do interesse de patronos, com capacidade para apoiar o seu desenvolvimento, Matt Mullenweg veio garantir que o WordPress.org vai acolher o projecto debaixo da sua alçada.

Aaron Jorbin fez as contas ao ‘estado dos commits‘ no core do WordPress em 2016. Foram 2967 contra 5106 registados em 2015. Já Scott Bolinger resolveu fazer outras contas e recorda os principais negócios do ano no ecossistema e as novas tendências.

Chris Wiegman, programador e professor, olhou para o panorama actual da programação e concluiu que o melhor é os programadores aprenderem três coisas e optarem por se especializar.

A preparar uma migração de um site WordPress e preocupado com as questões de SEO? Daniel Lee preparou um guia para isso. No mesmo sítio Jenni McKinnon explica como reparar uma base de dados que tenha dados corrompidos.

Em busca de sugestões sobre a segurando do teu WordPress para este ano? John Hughes indica cinco medidas a realizar. Ainda falando de segurança e num daqueles tópicos que, de vez em quando, surge no debate: mudar o prefixo das tabelas da base de dados ajuda a reforçar a segurança. A Wordfence diz que não.

Uma das novas tendências é aplicar um sistema de notificações ao site. Brian Jackson explica como se faz, usando um plugin gratuito.

A era dourado do blogging morreu. A afirmação é de Kevin Muldoon.

Deixar uma resposta